TV RECORD FALA SOBRE O SURF NO ECPT E MENTE SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA MODALIDADE

O fato trouxe indignação a praticantes de diversas modalidades e até o vice presidente da ALC Surf se manifestou sobre o fato.

0
1816

Nesta semana o ECPT (ESPORTE E CULTURA PARA TODOS)  foi destaque em reportagem da TV Record, o evento que se encontra em sua décima oitava edição  vem dividindo opniões quanto a retirada de algumas modalidades, entre elas o surf que não participou da edição deste ano. Na quarta feira (21) o blogueiro Adonias Veras compartilhou em sua rede social o vídeo da matéria exibida pela TV Record e logo gerou diversos comentários de praticantes das diferentes modalidades, principalmente do surf, isso porque o comentarista do vídeo cita o surf como fazendo parte da edição atual, o que é um fato mentiroso.


O compartilhamento do surfista e vice presidente da Associação de surf em Luís Correia Davi Evangelista, abriu comentário para diversos pontos como você pode ver abaixo.

Participantes do jiu-sitsu, slackline e outras modalidades manifestaram também sua indignação

O lamentável fato é que continuamos a ter políticas e jornalismo que trabalham a interesses próprios, sem de fato ouvir a comunidade interessada e de direito a uma comunicação aberta e democratizada.

QUEM DECIDIU SOBRE O SURF

Em nossa última matéria sobre o ECPT, o secretário de esportes Zé Paulo e o presidente da ALC SURF Márcio Amorim dizem ter feito acordo e juntos decidiram sobre a retirada do surf do ECPT, alegando ter sido um pedido da própria agremiação, fato que não condiz com a manifestação dos surfistas agremiados e nem com parte da diretória da ALC SURF que segue dividindo opiniões entre si. O acordo ficou feito com base em repasse de verba para ALC SURF fomentar seu campeonato fora do ECPT, o que desmente mais uma vez a matéria apresentada pela Tv Record.

O SURF É O ESPORTE DO LITORAL

Luís Correia que está entre as cidades que mais movimentam o turismo no litoral piauiense, deveria buscar investir nos talentos da modalidade incentivando sua base nas escolas, já que é um esporte que não exige grandes estruturas e por estar cercada de boas ondas, e após isso sim comemorar junto a mídia mentirosa as vitórias que deveriam ser uma verdade. Quem é da região sabe dos talentos que se perdem até nas drogas por falta de apoio efetivo de mídia, por falta de associação e governo que não buscam parceria privada visando a modalidade.