Quem é o shaper que fabrica pranchas de surf no Piauí?

A cultura dos shapers vive no litoral piauiense

0
387
Foto: Deodato Pereira

Viver o surf é uma aventura que poucos têm a sorte de desfrutar. Flutuar nas ondas, a conexão com o mar, o gosto salgado que fica na boca após o toque da água e aquela sensação de felicidade no ar. É ter a adrenalina e serenidade como dois lados da mesma moeda.

Para manter esse lifestyle, a arte de shapear surgiu, adaptando-se às ondas, aos surfistas e à cultura. O shaper virou peça importante no surf e a essência de seu trabalho era refletida nas pranchas que produziam.

O nascimento de um shaper

Deodato Pereira (surfista, fundador e atual vice-presidente da Associação de Surf do Piauí) começou a consertar pranchas em 1989 e a partir de 1992 a curiosidade de produzir suas próprias pranchas o levou a shapear e aprofundar-se sobre as técnicas de shape. Deodato pesquisava informações que seus irmãos traziam de Fortaleza e teve influência do surfista e shaper Tadeu Bacural.

Deodato Pereira na shapeando. Foto: Arquivo Pessoal

Comecei a shapear porque quase todos que amam a filosofia surf já pensaram em surfar uma prancha feita por si. Essa é uma das essências do ato de surfar, como os faziam os antigos polinésios, que pegavam uma tora de madeira na floresta e talhavam seu próprio shape”, conta o surfista.

O trabalho de um shaper também vai além do surf. Modalidades como o Kitesurf, Sandboard, Snowboard, Stand Up Paddle e Windsurf vivem pelas existências dos shapers. “O shaper é aquele cara que faz com que outras pessoas tenham uma ligação com estas realidades dos esportes, como deslizar na água, na neve e na areia. O nome surf vem do inglês SURFace, que significa superfície. Então o shaper, dentro da cadeia produtiva do mercado esportivo está no topo de importância, porém é o menos valorizado principalmente no Brasil”, comenta Deodato.             

Da Matéria Prima à Arte

Uma prancha pode ser produzida à partir de um pedaço de madeira, isopor (eps), poliuretano (pu), entre outros tipos de materiais. Deodato conta que para a fabricação o shaper dará o formato à prancha através do outline, trabalhando a espessura, largura e comprimento da prancha. “Atualmente existe um software desenvolvido por um brasileiro que gerou um advento da máquina de fabricação de prancha. Contudo a máquina só reduz o trabalho do shaper no desgaste do plug  no corte do outline, sendo a mão humana de extrema importância na finalização do shape, fazer a borda de bico e outras funções de fabricação”, revela o shaper.

Foto: Deodato Pereira

E muitos são os surfistas que utilizam as obras de Deodato. Atletas como Márcio Silva, Roberto Silva, Herbert Quadrado, Patrick Alves, Tempinho e muitos outros foram campeões de competições usando uma prancha do shaper local.