Pela segunda vez, piauienses da ONG Projeto Vivo participam de temporada internacional

Os meninos já iniciaram a preparação para as competições internacionais no primeiro semestre

0
2622

A ONG Projeto Vivo já está com as energias renovadas para 2017. E a primeira ação do grupo é conseguir patrocínio para os talentos no kitesurf. A marca F-One International lançou uma campanha a fim de descobrir talentos, com vagas para riders mirins. Foram preparados vídeos com manobras de 7 atletas para serem lançados. Além disso, a ONG já planeja participação em competições mundiais para o primeiro semestre.

A campanha com os vídeos para a F-one é uma esperança de conseguir apoio para os meninos que seguem com pouca estrutura em equipamentos. Por ser um Projeto sem fins lucrativos, os atletas precisam de kites, pranchas, botas, trapézios e neoprene. Nos vídeos, os meninos fazem uma apresentação em inglês e depois é exibido as melhores manobras para demonstração.

Campeonatos Mundiais

Manoel Piçarrinha, Luís Fernando e Guigui Costa estão se preparando novamente para participar da Coupe du Monde Junior de Kitesurf 2017, em Saint Pierre de La Mer, na França, em abril, nos dias 6 a 9. Repetindo o planejamento do ano passado, os meninos participam do torneio, dessa vez com metas mais ousadas, em que o principal objetivo é conseguir o pódio em suas categorias.

Segundo a coordenadora e técnica da ONG Projeto Vivo, Isabel Lupiañez, os meninos conseguiram uma boa experiência no ano passado. “O nível estava bastante alto. O que desfavoreceu os meninos foi o vento e a falta de experiência, a água estava muita gelada. O vento estava forte, a rajada fria. Agora estou apostando as cinco primeiras colocações, e sendo mais otimista, as três primeiras”, explica Isabel.

No ano passado, Guigui Costa, na época com 12 anos, havia conquistado o 6º lugar na sua categoria. Luís Fernando, que também tinha a mesma idade, ficou com a 13ª colocação. Já Manoel Piçarrinha, aos 15 anos, tinha conquistado o 6º lugar. Ele ainda participou do Mondial du Vent, Leucate, que é uma das etapas do Mundial de Kitesurf profissional.

Para este ano, os meninos vão participar das mesmas competições e atenção especial fica por conta de Manoel Piçarrinha, que é considerado atualmente o melhor atleta juvenil da modalidade no país. Nos meses de julho e julho acontecem outras competições internacionais e o planejamento é de que seja mais uma experiência para o nativo de Barra Grande, já que seus adversários também seguem a mesma linha de preparação.

Tem uma outra etapa do Mundial na Espanha, no final de junho. No ano passado não deu para a gente ir, já que não tinha como passar duas temporadas fora e não contamos com a ajuda governamental. Mas agora pretendemos levar o Piçarrinha para participar do Mundial na Espanha, depois do Mundial Junior e depois, nas Ilhas Canarias, outra etapa do Mundial profissional. Vamos fazer uma mega campanha para conseguir ir”, explica Isabel.

Em 2016, os meninos tiveram sua primeira experiência em competições internacionais. Foto: Arquivo Pessoal

Planejamento 2017

Além das competições internacionais, a ONG Projeto Vivo tem outras metas durante o ano. A ONG também organiza atividades que fogem do kitesurf, como a escolinha de férias, blocos de carnaval, Dia das Crianças, halloween, as festinhas de aniversário, além é claro do futebol e vôlei durante a semana. A equipe também participa dos campeonatos no Cumbuco, Arena Kite Brasil e o campeonato da ONG Projeto Vivo, que acontece no final do ano.

Temos 40 crianças competindo em Barra Grande. Fazemos o único campeonato infantil, não tem outro no Brasil. Estamos fazendo o nosso próprio ranqueamento para levar as crianças ao Mundial. No Brasil, já se confirmou o favoritismo do Manoel, ele estava competindo com atletas de 20 anos, com os profissionais”, finaliza Isabel.