Mayna Nascimento é a nova comunicadora do Piauí Surf direto do Rio.

O Piauí Surf ganha mais uma nova integrante para somar ao time surf do estado. Com muita bagagem, ela veio para acrescentar na equipe.

0
588

O Piauí Surf ganha mais uma nova integrante para somar ao time surf do estado, com muita bagagem ela veio para acrescentar na equipe. Nativa de Parnaíba (PI), atualmente mora no Rio de Janeiro (RJ). Mayna Nascimento foi uma das primeiras na cena surf feminino no estado do Piauí, inclusive representando a categoria no Pena Nordeste surf em 2010

Conheça a caminhada de Mayna Nascimento

Surfando desde 2009, com mais quatro amigas ela sempre passava as férias na praia da Pedra do Sal, de preferência do lado brabo, sempre buscava acompanhar de perto os surfistas.
O tio, Luiz Antônio Trindade e Silva, tornou-se um de seus inspiradores. Quando mais nova, Mayna analisava as fotos e equipamentos que seu tio tinha o que lhe despertou uma vontade crescente de surfar,

Já na faculdade, o surf se tornou ainda mais presente com a influência dos amigos. A frequência de ir a praia aumentou e quando se deu conta, o surf já era realidade em sua vida. Mayna iniciou com pranchas emprestadas de amigos, caía na água em busca das ondas. Ela conseguiu comprar sua primeira prancha com o Batora e desde essa época já ia surfar sozinha. Com o tempo conquistou seu equipamento, uma prancha Rio doce 6.3, na época em que ela evoluiu no surf e começou a tomar gosto pelo mar brabo.

Mayna-nascimentoII-Sua primeira surf trip aconteceu em Fortaleza junto com o surfista Xildim. A mais marcante foi um WQS em Paracuru, acompanhada de outros nativos. Mayna viu surfistas profissionais pela primeira vez. Silvana Lima e Neco foram alguns deles…

Experiência em Comunicar

A paixão pelo surf também motivou Mayna a difundir a cultura surf. Junto com Maurício (Kalado), fundou um blog em que fazia previsão das ondas com vídeos. Ela também trabalhou no “Litoral do Piauí”, uma espécie de guia turístico do Litoral.

Depois de se formar em Turismo pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), a surfista se mudou para o Rio de Janeiro. Apesar da dificuldade para se adaptar ao surf local, devido a distância entre o local que morava na Baixada Fluminense e a praia, ela não desistiu, deu uma pausa durante um ano até decidir morar só e, dessa vez, perto da praia. Desde então o surf se faz presente todos os dias. Mayna é free surf e vive o lifestyle, vendo diariamente grandes nomes do surf no mar, surfando sempre em praias como Joatinga, Barra e as vezes na Prainha.

Mayna agora pretende somar ao Piauí Surf fazendo a conexão Rio de Janeiro-Piauí, compartilhando informações. Como veículo de comunicação, o Piaui Surf avança mais uma etapa e a surfista acredita no portal como uma forma de expandir o surf e a cultura praia no estado.