Família, disciplina e paixão. Erick Matter e o legado do surf Piauiense

Surfista há 21 anos, atleta conta como vê o avanço do cenário esportivo no Litoral

0
321
O atleta Erick Matter. Foto: Arquivo Pessoal

O Parnaibano de 27 anos Erick Matter, iniciou no esporte com seis anos de idade, subindo em pranchas de bodyboard para surfar na Praia do Coqueiro. Logo de cara chamou a atenção da sua família e ganhou uma prancha de surf (hang lose) por meio da qual se apaixonou pelo esporte.

“O que me marcou na vida do surf foram os swells que entravam constantemente no nosso litoral, infelizmente não vemos com frequência como antes. Já enfrentei grandes mares aqui e sei que temos ondas poderosas, principalmente na Pedra do Sal e na Praia do Arrombado”, explica o surfista.

Erick mandando um Floater. Foto: Arquivo Pessoal
Erick mandando um Floater. Foto: Arquivo Pessoal

Surfismo e o Espetáculo Radical

Erick acredita que o surf é um esporte de alta execução, onde o melhor caminho é a prática. Além do esporte de prancha, o atleta pratica também o jiu-jitsu e o muay thai para manter a boa forma. “Você precisa treinar semanalmente para não ficar sem ritmo! A sensação de surfar para mim é voltada para boa performance, mandando as manobras que pretendo executar na onda. Quando não consigo executar, não consigo ficar satisfeito. Mas sei também que o objetivo é a diversão! ”, relata o atleta.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

O surfista que já tentou carreira profissional no esporte já participou de várias competições, como o Pena nordestina amador e campeonatos regionais. Atualmente o atleta compete na categoria Master, onde confessa que se encontra satisfeito. “Temos grandes eventos como campeonatos da ASPI(Associação de Surf Piauiense) e da Loja Kauai, onde podemos nos divertir e ganhar grandes prêmios”, diz Erick entusiasmado com o cenário do surf no Piauí.

“Ohana”, surf também é família

Erick e sua filha de 7 anos. Foto: Arquivo Pessoal

Erick Matter viu o surf do Litoral Piauiense se desenvolver nos últimos 25 anos e acha que melhoria dos equipamentos é o principal progresso do esporte. Atualmente, pai de uma menina de 7 anos, o atleta reconhece a importância da tradição do surf. “Eu quero ensinar o surf para minha filha, para que um dia ela chegue a competir em nível nacional. Considero importante porque sei que surfar é o emprego dos sonhos e vejo o cenário do surf mundial bastante evoluído, assim como no Piauí”, conta o surfista.

Erick espera que seus filhos sigam carreira no surf e explorem o esporte ao máximo!