Atleta piauiense sobe ao pódio no Arena Kite 2016 e se prepara para seguir carreira profissional

Sendo a mais jovem entre as vencedoras , Marília Gabriela conquista terceiro lugar na competição e é convidada para treinar no Ceará

0
304
As vencedoras Camila Veras, Maria Helena e Marília Gabriela

Lugar de mulher é onde ela quiser.

Essa é uma expressão que faz qualquer mulher sentir orgulho por representar seus direitos quando ocupa um espaço, de maioria masculina. É nessa onda que hoje iremos conhecer um pouco mais das kitesurfistas Marília Gabriela e Maria Helena, duas das finalistas do Campeonato Brasileiro Arena Kite 2016.

Não é novidade que nosso litoral é bastante procurado para a prática do KiteSurf, e que cada vez mais a categoria feminina vem crescendo no esporte. O Arena Kite, aconteceu em Luís Correia (PI) e contou com seis atletas femininas que foram distribuídas em três baterias, com duas atletas cada.

A Piauiense Marília Gabriela, natural da comunidade da praia do Coqueiro(PI), conquistou o 3° lugar no campeonato brasileiro. A atleta conta que sua paixão pelo kite surgiu de um convite de um amigo aos 13 anos. Hoje com 17 anos já participa de campeonatos regionais e mesmo sendo iniciante, já subiu ao pódio no Arena Kite.

Terceiro lugar, Marília é a finalista mais nova ao pódio. Foto: Arquivo Pessoal.

Sempre gostei muito de ir à praia e amo adrenalina. Conheci o kite através do meu irmão e de um amigo, e logo de cara me apaixonei. Eu espero evoluir nas competições, ainda tenho que treinar bastante. Até recebi um convite da Helena, que dividiu pódio comigo, para treinar no Ceará ”, relata a atleta, que sofreu um tombo durante a competição, mas já se prepara para outros eventos.

Maria Helena, primeira colocada no campeonato e que atua no esporte há 3 anos, descreve que obteve dificuldades para ingressar no kite e que se anima com o crescimento de mulheres no esporte. “No começo, o que mais queria era arrumar um patrocínio. Eu comecei pedindo equipamentos emprestados, mas ninguém se prestava a ajudar. Eu ficava na lagoa sentada, só olhando com vontade.  Agradeço muito ao meu irmão, Carlos Alexandre e meus sobrinhos Carlos Mário e Carlos Madson que me auxiliaram com isso”,  declara Helena.

A cearense aos 20 anos obteve vitória em  sua primeira competição nacional e sente-se realizada com a conquista de um sonho. Helena afirma que pretende voltar a competir no Piauí e espera mais mulheres lá para disputar a vitória também.

Foto: Roberto Veiga Atleta: Samy Marins

Samy Marins, campeã catarinense e segunda do ranking brasileiro de kitewave, além de idealizadora do projeto Katie Ladies que reúne a classe feminina em velejos pelo Brasil, acredita que mais mulheres estão buscando o esporte. “Eu sou uma pessoa que sempre puxa para o lado feminino, desde competições e viagens. Tenho um projeto de roupas femininas voltadas para as mulheres que velejam. Eu acho que a gente tem que levantar essa bandeira feminina no esporte, que é muito pequena ainda. O número de mulheres está crescendo e descobrindo que o kite é legal”, destacou Samy.