2° Campeonato Projeto Vivo de Kitesurf prepara categoria de base no Piauí

O Projeto realizou a sua segunda edição do campeonato que recebe as categorias de base sub 11, sub 15 e sub 20.

0
410
Foto: Osaia kite e Projeto Vivo

Nos dias 2 a 4 de dezembro, em Barra Grande(PI),  aconteceu o 2° Campeonato Projeto Vivo de Kitesurf que contou com mais de 30 atletas, entre eles piauienses, cearenses, argentinos e franceses. O campeonato reuniu a categoria de base, com a proposta de prepará-los para as competições.

Apesar de novos, os atletas não decepcionaram os juizes, proporcionando performances de alto nível e competitividade. Entre os juízes estavam Kalú de Sousa, pro rider cearense do circuito profissional adulto de kitesurf no Brasil, Ricardo Hidrante, proprietário da Kite School Top Kite Gostoso, de São Miguel do Gostoso-RN, e Alexandre Rodrigues Dos Santos, pro rider de Barra Grande-PI e campeão do Campeonato Projeto Vivo de Kitesurf 2015.

No Feminino(open), quem levou a melhor, foi Maria Helena(CE), em novembro, a atleta também garantiu o primeiro lugar no Arena Kite Brasil 2016. Na Sub 11, outro cearense levou o troféu, Leandro da Silva Mendes(Tibumba), da Lagoa do Cauipe(CE) dividiu o pódio com o argentino Lucio Romani e o piauiense Fagner de Barra Grande.

0122A categoria Sub 15, acabou com o pódio dividido entre cearenses e piauienses, Guigui Costa e Luis Fernando representaram o Piauí com o 1° e 2° lugar, seguidos de Rafael Monteiro e João Lucas do Ceará. Na categoria Sub 20, quem se destacou mais uma vez, foi Manoel Piçarrinha(PI), o garoto que ja esteve no Mundial du Vent na França, levou o 1° lugar e impressionou a banca julgadora. “Esse menino participou a nível mundial. Manoel está com ótima performance!”, anuncia Kalu de Sousa, um dos pro riders no cenário de kitesurf profissional.

01222Isabel Lupiañez, organizadora do evento, e idealizadora da ONG Projeto Vivo, conta que o evento foi um sucesso pela segunda vez, e que como o campeonato é o único no Brasil voltado para a categoria de base, acaba preparando as crianças para novos desafios. “Nosso objetivo é que as crianças tenham mais vivência em campeonatos e estejam mais preparadas para encararem os demais campeonatos que existem por aí. Trabalhamos com mais de 80 jovens, entre meninos e meninas, para estimular o talento de cada um e ajudar a melhor inseri-los na sociedade”, comemora.

Foto: Osaia kite e Projeto Vivo